quarta-feira, 15 de junho de 2016

Karl Landsteiner

Os grupos sanguíneos.


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/06/karl-landsteiner.html
Karl Landsteiner. Fonte da imagem: TheVerge.

VAMOS CONHECÊ-LO...

Nome: Karl Landsteiner (Baden, Baixa Áustria, 14 de junho de 1868  Nova Iorque, 26 de junho de 1943) foi um médico e biólogo austríaco naturalizado estadunidense.

Nacionalidade: Austríaco

Nascimento: 14 de junho de 1868
Local: Baden, Austría-Hungria

Morte: 26 de junho de 1943 (75 anos)
Local: Nova Iorque, Estados Unidos
Causa: Ataque cardíaco

Área: Biologia, Medicina

Instituições: Universidade de Viena, Universidade Rockefeller

Alma mater: Universidade de Viena

Conhecido por: Descoberta do fator Rh, os tipos sanguíneos

Prêmios: Prêmio Aronson (1926), Nobel de Fisiologia ou Medicina (1930), Prêmio Lasker-DeBakey (1946).

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/06/karl-landsteiner.html
Karl Landsteiner. Fonte da imagem: Wikipedia.

Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1930, pela classificação dos grupos sanguíneos, sistema ABO, e foi descobridor do fator RH.

É recordado também por ter sido um dos proponentes do termo "anticorpo", para as substâncias responsáveis pela aglutinação do sangue.


Até o início desde te século, era grande a ocorrência de acidentes graves durante as operações de transfusão sanguínea. Coube ao patologista Karl Landsteiner, demonstrar que existiram diferenças no comportamento do sangue de umas pessoas em relação ao de outras. Landsteiner foi o primeiro pesquisador a identificar grupos sanguíneos diversos entre seres humanos. Ele descobriu inicialmente os quatro grupos sanguíneos do sistema ABO. Mais tarde, já com auxílio de seu assistente A. Wiener, também descobriu o sistema Rh.

Grupos sanguíneos. Fonte da imagem: Nortão.

O sistema ABO é tipicamente um caso de alelos múltiplos; o mesmo não ocorre com o sistema Rh. No sistema ABO, distinguem-se quatro grupos sanguíneos: grupo A, grupo B, grupo AB e o grupo O (sugerem-se a denominação ó, e não zero, uma vez que os nomes dos grupos devem estar de acordo com a representação dos seus respectivos genes e, em Genética, os genes são designados por letras e não por algarismos). A ocorrência dos quatro grupos está na dependência do fato de existirem, na Natureza, três tipos distintos de alelos: alelos A, alelos B e alelo O (será mais correto usar: alelos IA, alelos IB e alelos i, já que as boas normas da Genética convencionaram o uso de uma mesma letra pra os genes dominante e recessivo de um mesmo locus; a distinção entre eles será feita pelo emprego de maiúscula e minúscula ou a mesma letra com índices diferentes). No caso que estamos focalizando, o gene IA é denominante sobre o gene i. Igualmente, o gene IB é dominante sobre i. Mas entre IA e IB existe uma co-dominância. Assim, um indivíduo para ter sangue do tipo O tem de ser homozigótico ii. E, também, todo indivíduo que tenha sangue do grupo AB é necessariamente um heterozigótico IA IB.

Mas, o que faz uma pessoa ter sangue A ou sangue B? As pessoas que têm genótipo IA IA ou IA i revelaram na membrana plasmática das suas hemácias uma proteína especial, que recebeu o nome de aglutinogênio A. As pessoas que têm o sangue B, em função do genótipo IB IB ou, então IB i, não possuem o aglutinogênio A, na superfície das hemácias, mas sim uma outra proteína diferente - o aglutinogênio B. As pessoas que revelam sangue do grupo AB têm o genótipo IA IB e, em função da presença de ambos os genes (IA e IB), possuem os dois aglutinogênios na membrana plasmática dos seus glóbulos vermelhos. Finalmente, os indivíduos que têm sangue do grupo O possuem o genótipo ii, que não determina a produção de nenhuma aglutinogênio nas hemácias.

Quem possui aglutinogênio A produz aglutinina anti-B. Os portadores de aglutinogênio B produzem aglutinina anti-A. Repare a relação invertida entre aglutinogênio e aglutinina. É que o encontro, no sangue, de um aglutinogênio com a aglutinina do mesmo nome implica a aglutinação das hemácias (agrupamento das hemácias em bloco, provocando a floculação do sangue).


Caracterização dos grupos sanguíneos do sistema ABO. Fonte da imagem: PlanetaBiologia.

Os aglutinogênios procedem como antígenos, isto é, proteínas específicas que atuam como corpos estranhos no organismo de quem não os possua, introduzindo estes últimos à produção de anticorpos. As aglutininas são anticorpos específicos que, em presença de aglutinogênio correspondente, promovem reação de aglutinação do sangue.

A presença das aglutininas específicas no sangue se faz notar logo após o nascimento, em consequência da reação do organismo à ação de certas bactérias da flora intestinal, que lançam na circulação alguns mucopolissacarídeos de estrutura molecular semelhante à dos aglutinogênicos A e B. Quem pertence ao grupo A não responde à presença do aglutinogênio A nem à substância de origem bacteriana correspondente a esse aglutinogênio. Mas reage à substância bacteriana semelhante ao aglutinogênio B, passando a formar a aglutinina anti-B. Da mesma forma, os portadores de sangue B reagirão à substância de origem bacteriana semelhante ao aglutinogênio A, formando a aglutinina anti-A. Os indivíduos AB (genótipo IA IB) não tem capacidade de produzir nenhuma das aglutininas. Já os indivíduos do grupo O (genótipo ii) reagem à presença dos mucopolissacarídeos bacterianos de ambos os tipos e formam aglutininas anti-A e anti-B.

Fonte: SOARES, José Luís. Biologia Volume 2. Funções Vitais, Embriologia, Genética. Editora. 1934.



CONHEÇA MAIS GÊNIOS DA CIÊNCIA (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):


Alexander Fleming

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/03/alexander-fleming.html

Jonas Salk

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/03/jonas-salk.html

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/03/carlos-chagas.html

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/03/linus-pauling.html

E VENHAM SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE+. PARA ACESSAR BASTA CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO:

 https://plus.google.com/collection/IPIdQB https://plus.google.com/collection/Ut3sQB

2 comentários:

  1. Raquel Falcão de Almeida Souza13 de outubro de 2016 07:20

    Acho de fundamental importância os ensinamentos da área de biologia, biologia marinha e medicina, área agricola, evita erros, e ensina a agirmos de olho vivo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindas palavras Raquel. Verdade devemos dar importância a isso o máximo que pudermos, pois com um governo desse, sem dar incentivo a as pessoas e a pesquisa e ciência. Pois no Brasil o que mais tem é coisa pra descobrir e ajudar no mundo.

      Grande abraço,

      Equipe BioOrbis.

      Excluir