segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Gatos e humanos

Gatos não enxergam seus donos como “porto seguro”, sugere pesquisa.



VAMOS DESCOBRIR...

Um estudo científico desenvolvido por pesquisadores de medicina comportamental da Universidade de Lincoln, na Inglaterra, diz que os gatos não formam a dependência infantil com seres humanos como os cães geralmente fazem. Os resultados da pesquisa foram relatados no início deste mês na revista PLOSONE.

“Isto não é sobre se os gatos adoram seus proprietários”, disse o pesquisador Daniel Mills ao Live Science. Na realidade, acrescenta Mills, isso apenas significa que os membros da espécie ‘Felis catus’ não olham para seus donos humanos como uma fonte de segurança.

“SITUAÇÃO ESTRANHA”

Os novos resultados são baseados em um teste chamado “Strange situation” (Situação Estranha, em tradução livre). No teste, que foi desenvolvido para os seres humanos pela psicóloga Mary Ainsworth na década de 1970, pesquisadores colocaram uma mãe, um cuidador e um bebê em um quarto juntos. Depois disso, foi pedido a mãe para deixar o local para o cuidador estranho tentar brincar sozinho com a criança.


Com a análise, Ainsworth descobriu que alguns pequenos brincavam com alegria enquanto o cuidador estava por perto, agiam com medo ou angustiados quando os cuidadores saiam, e então agiam felizes quando a figura da mãe retornava. A conclusão principal é que a maioria das crianças via sua mãe como uma “base segura” para explorar o mundo. Por outro lado, alguns jovens pareciam indiferentes à presença e a ausência de suas mães.


Relacionado aos animais, um estudo publicado em 2013 na revista PLOS ONE descobriu que os cães, da mesma forma que os humanos, se apegam aos seus donos (familiares, no caso dos humanos) como um refúgio de segurança quando um estranho está próximo. Os pesquisadores concluíram que, assim como os bebês humanos, os cães podem se tornar firmemente ligados a seus cuidadores, diferente dos gatos, que parecem não desenvolver um sentimento relacionado à segurança com os seus donos.

AUTOSSUFICIENTES?

De acordo com informações do Live Science, para ver o comportamento dos gatos frente a seus donos, Mills e sua colega Alice Potter colocaram gatos em uma situação equivalente ao estudo da “Strange Situation”. No novo estudo, os proprietários deixaram os gatos em uma sala e um estranho, então, entrou e tentou envolver os gatinhos em jogo. Os donos dos gatos selecionados para a pesquisa disseram que estavam particularmente ligados aos animais.


No geral, os gatos tiveram comportamento bastante variável. Os felinos da pesquisa também não mostraram sinais claros de dependência de seus donos, com exceção de miados ligeiramente mais frequentes quando os proprietários os deixavam com desconhecidos. Os resultados da pesquisa sugerem que, ao contrário dos cães, os gatos não olham para os proprietários como uma espécie de cobertor de segurança.

Mills ressalva, porém, que o fato dos gatos não verem seus donos como um ponto seguro não significa que os animais não gostem deles. Para o pesquisador, pode ser simplesmente que o amor felino-humano está enraizado em algo diferente da dependência.

Também é possível que os gatos simplesmente não usam suas emoções em sua pele, por assim dizer, e que um outro teste pode avaliar melhor o seu apego aos proprietários, disse Mills. Para ele, uma das justificativas para o comportamento dos gatos está na sua natureza independente.

“Os gatos são caçadores naturalmente muito independentes. Em contrapartida, os cães caçam em bandos, e por isso podem, naturalmente, depender de outros quando se fala em atender suas necessidades, como a segurança”.

Fonte: Top Biologia

MESMO ASSIM ELES SÃO INCRÍVEIS. MAS NÃO PARE POR AQUI ABAIXO TEM MUITO MAIS PRA VOCÊS, CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS:

Chiado dos gatos

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/09/chiado-dos-gatos.html


Gatos foram domesticados com carinho e comida, diz estudo

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/12/gatos-foram-domesticados-com-carinho-e.html


 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/12/terapia-animal.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/05/10-femeas-do-reino-animal-que-provaram.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/09/cacadores-e-presas.html


E VENHA SEGUIR NOSSAS INCRÍVEIS COLEÇÕES NO GOOGLE+, É SÓ CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR OS LINKS:

 https://plus.google.com/collection/8ZnoQB https://plus.google.com/collection/YU0mQB 

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/EtfabB

4 comentários:

  1. Acho esse animal muito lindo! Um fato intrigante é que na minha infância, eu fui criada em contato direto com gatos e hoje eu sou alérgica. Não posso ficar perto, parece que engoli os pêlos do animal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante sua colocação. Geralmente alergia a animais talvez vêm de quando nascemos, mas pelo seu caso pode ter sido mesmo o contato e com o tempo gerou a alergia.

      Agradecemos pelo comentário,

      Equipe BioOrbis

      Excluir
  2. Amo gatos justamente por eles ser mais independentes. Tenho 5 aqui em casa e dois são diferentes dos demais, tipo eles quase que parece com um cachorro eles querem me seguir quando vou trabalhar e quando estou deitado no chão eles vem e se joga em cima de mim. Clark é ó mais velho daqui e ele atende pelo nome. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana Emerson, é muito bom ter relatos aqui assim como o seu. Realmente os gatos são sim bem afetuosos. Mas acreditamos que com uma criação com amor e carinho qualquer animal pode vir a te amar e retribuir esses sentimentos.

      Um grande abraço, Equipe BioOrbis.

      Excluir