domingo, 31 de maio de 2015

Enfurecido

Uma disputa no passado, sobre uma matança entre alguns dos maiores predadores no Pleistoceno das Américas. Preparados para a luta?

Localidade: Pleistoceno. Proximidades de Tarija, Bolívia.
ENTÃO VENHA DESCOBRIR...

Um Smilodon reivindica o seu almoço (um Hippidion que já está morto, mas não se tem certeza de quem realmente o matou) e uma pequena matilha de lobos gigantes. Os lobos formidáveis ​​hesitam em recuar sobre o felino enfurecido, mas com um ataque violento em deles, eles começam a pensar duas vezes. Os outros dois recuam, mas apenas para se reagruparem para tentar mais uma vez roubar a carne preciosa do enfurecido….

Com base nas características quantitativas do Rancho La Brea, ambas as espécies podem incluir em suas estratégias de alimentação, ao mesmo tempo sendo caçadores ativos, uma situação semelhante à dos modernos leões e hienas na África hoje, por isso, considerando suas características físicas e habilidades de cleptoparasitismo (parasitismo por roubo) não estejam excluídas para ambos os lados.

A cena foi encontrada pelo registro fóssil e está situado no sul da Bolívia, Quebrada del Puente Alto, perto de Tarija é a distribuição mais austral conhecida dos lobos gigantes. A origem do lobo gigante ainda está para ser esclarecida, não há evidências definitivas para de qual a sua origem, de onde teriam evoluído, no Norte ou na América do Sul, apesar de as chances serem melhores para o Norte da América. Mas mesmo que o lugar da origem fosse a América do Sul, com base na morfologia do lobo gigante ele ainda se enquadra no gênero Canis (ou seja, não é um membro da linhagem das raposas da América do Sul, um grupo irmão de Canis), pois sua aparência externa cabe dentro do grupo Canis, no qual isso é bem óbvio.

Fontes: Berta, A. 1988: evolução do Quaternário e biogeografia da grande Sul americana Canidae (Mammalia: Carnivora). Universidade of California Publications, Ciências Geológicas 132, 1-149.
Dundas, RG 1999 (Setembro): registros do Quaternário do lobo extremo, dirus Canis, no Norte e Sul América. Boreas, Vol. 28, pp. 375-385.
Prevosti, FJ (2010), a filogenia dos grandes extintos Canídeos Sul-Americanas (Mammalia, Carnívoro, Canidae), utilizando uma abordagem de "evidência total". Cladistics, 26: 456-481. Ilustração e texto de Velizar Simeonosvki.

UMA INCRÍVEL DISPUTA OCORRIDA A MUITO TEMPO ATRÁS. MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI, ABAIXO TEM MUITO MAIS PRA VOCÊS (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):

Os Super Carnívoros do Pleistoceno

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2016/07/os-super-carnivoros-do-pleistoceno.html


Os Ancestrais dos Tigres Dentes de Sabre

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/12/os-ancestrais-dos-tigres-dentes-de-sabre.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/08/o-crescimento-dos-grandes-caninos-dos.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2013/12/de-volta-vida.html


E NÃO DEIXE DE SEGUIR NOSSA INCRÍVEL COLEÇÃO DAS VIDAS PRÉ-HISTÓRICAS, É SÓ CLICAR NA IMAGEM ABAIXO PARA ACESSAR O LINK:

 https://plus.google.com/collection/cI6dQB

Um comentário:

  1. Também tinha o porco do inferno enterodonte , mas não sei se é da mesma época

    ResponderExcluir