domingo, 18 de janeiro de 2015

A maior ave que já voou

"Ao Infinito e Além". Se o assunto é o voo e tamanho, essa ave provavelmente é a primeira colocada. Apresentamos a vocês a maior Ave que já voou.

 https://bio-orbis.blogspot.com/2015/01/a-maior-ave-que-ja-voou.html
Reconstrução de como seria em vida de Pelagornis sandersi. Crédito da imagem: Liz Bradford.

VAMOS DESCOBRIR...

Pelagornis sandersi, uma espécie extinta recém descoberta de aves que viveram no que é hoje a América do Norte cerca de 28 milhões de anos atrásela é a maior ave voadora já encontrada, diz o Dr. Daniel Ksepka, um paleontólogo com Bruce Museum, em Greenwich, Connecticut.

"Pelagornis sandersi poderia ter viajado por distâncias extremas ao atravessar as águas do oceano em busca de presas", explicou o Dr. Ksepka, que relatou a descoberta na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências.

Pelagornis sandersi pertence a família Pelagornithidae, um grupo extinto de aves conhecidas com projeções ósseas no bico parecidas com dentes, com tamanho grande, e os ossos das asas altamente modificados.

"Os Pelagornithids eram criaturas como de um romance de fantasia, não há simplesmente nada como eles hoje. Estes pássaros gigantes ocorreram em todo o globo por dezenas de milhões de anos, mas desapareceram durante o Plioceno, apenas três milhões de anos atrás. Paleontólogos permanecem incertos sobre a causa da sua extinção", disse o Dr. Ksepka.

Comparação entre o Pelagornis sandersi, o Condor da Califórnia e um Albatroz Real, as maiores aves vivas atualmente. Crédito da imagem: Liz Bradford.
Com 6,4 m, a envergadura desta ave era de cerca de duas vezes maior do que os albatrozes-reais (Diomedea exulans), a maior ave voadora viva hoje. As envergaduras de Pelagornis sandersi estão acima de alguns limites superiores teóricos para o voo motorizado em animais, mas mesmo assim, é evidente a partir do esqueleto do pássaro,ele era um planador magistral.

Dr. Ksepka, estimou o comprimento das penas com base na relação entre o comprimento dos ossos e comprimentos de penas das aves vivas, e usaram modelos de computador para inferir se a ave foi uma planadora eficiente.


Crânio de Pelagornis sandersi vista dorsalventral e vistas laterais direito e esquerdo. Crédito da imagem: Daniel T. Ksepka.
Agora nas coleções do Museu Charleston, os restos fossilizados de Pelagornis sandersi, seu crânio e o material pós-craniano substancial, foram recuperados a partir da Formação Chandler Ponte na Carolina do Sul por Museum voluntário James Malcom em 1983.

O nome específico, sandersi, honras ao aposentado Charleston, curador do Museu Albert Sanders, coletor do fóssil.


Surpreendente não? Imagina um animal desse vivo hoje? Séria incrível.

Fonte: Sri-News.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário