DESCUBRA AQUI!

domingo, 30 de novembro de 2014

A loucura animal

Nos últimos sete anos, a bióloga americana Laurel Braitman pesquisou a demência de cães, gatos, elefantes ou golfinhos. Nesta entrevista ao site de Veja, ela conta sua jornada pela história da insanidade animal e explica de que forma os bichos nos ajudaram, também, a compreender a mente e as emoções humanas.

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/11/a-loucura-animal.html

VAMOS DESCOBRIR...

Aos 6 anos, Oliver, um grande cão bernese que adorava brincar de esconde-esconde, atirou-se do quarto andar do prédio onde vivia. Ansioso por estar sozinho no apartamento, ele arrancou o aparelho de ar-condicionado da parede, comeu a fiação, jogou-se pelo buraco e, milagrosamente, sobreviveu. No hospital, olhando os ferimentos de seu cão, a bióloga Laurel Braitman resolveu entender o que se passava pela cabeça de Oliver para chegar a essa atitude extrema.

Procurou veterinários, psiquiatras, psicólogos e neurologistas e passou os últimos sete anos pesquisando animais que, como o seu bernese, apresentavam transtornos mentais. Encontrou elefantes com ataques de ansiedade, ursos depressivos, gorilas com transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), ratos e papagaios com tricotilomania (o impulso de arrancar os próprios cabelos) e golfinhos suicidas. "Identificar e entender a insanidade animal e ajudá-los a se recuperar diz muito sobre nossa humanidade. Quando estamos ansiosos, raivosos, assustados ou compulsivos mostramos o quanto somos surpreendentemente iguais às outras criaturas com quem dividimos o planeta", diz Laurel.

No livro Animal Madness (Loucura Animal, sem edição em português), recém-lançado nos Estados Unidos, a bióloga, que também é especialista em história da ciência pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), reconstrói a história da demência animal e conta como transtornos mentais de macacos, ratos, cachorros ou gatos impulsionaram a compreensão da mente humana. Foram eles as cobaias para testar os primeiros antidepressivos ou ansiolíticos inventados. E, da mesma maneira que nossa compreensão a respeito de distúrbios mentais evoluiu ao longo dos anos, o entendimento do cérebro e comportamento animais vem passando por uma revolução. De acordo com Laurel, a ciência não questiona mais se os animais têm emoções, mas se interroga, atualmente, que tipo de emoções são essas e de onde vêm.

Nesta entrevista ao site da revista Veja, a autora, que esteve no Brasil em outubro para acompanhar a conferência TED Global, no Rio de Janeiro, conta como foi sua jornada para desvendar a história da demência animal. E explica de que forma essa compreensão mudou também sua visão a respeito dos seres humanos.

Leiam a reportagem completa aqui: Planeta Sustentável

VAMOS CUIDAR DE NOSSOS PEQUENOS BICHINHOS PARA QUE NÃO SOFRAM DISSO. MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI, ABAIXO TEM MUITO MAIS É SÓ CLICAR NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS:

Terapia animal

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/12/terapia-animal.html


Cães entendem as palavras ditas a eles, diz estudo

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/12/caes-entendem-as-palavras-ditas-eles.html


 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/12/gatos-foram-domesticados-com-carinho-e.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/10/gatos-e-humanos.html


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/09/chiado-dos-gatos.html


E VENHA SEGUIR NOSSAS INCRÍVEIS COLEÇÕES NO GOOGLE+, É SÓ CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR E FICAR LIGADO:

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/8ZnoQB https://plus.google.com/collection/YU0mQB

8 comentários:

  1. Parabéns e obrigada por essas maravilhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por nada Jack, é sempre bom saber que tem pessoas gostando das nossas postagens.

      Equipe BioOrbis.

      Excluir
  2. Parabéns por essas maravilhas. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por nada Jack, é sempre bom saber que tem pessoas gostando das nossas postagens.

      Equipe BioOrbis.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Interessante não é mesmo Celina? Que bom que gostou.

      Grande abraço, Equipe BioOrbis.

      Excluir
  4. Excelente artigo pras pessoas que pensam que os animais não possuem sentimento algum e que podem ser tratados de qualquer maneira, parabéns ao site, que além deste ainda possui inúmeros artigos interessantes, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo amigo. Muitas pessoas acham mesmo que os animais não tem sentimentos nem alma, o que é um absurdo. Temos que respeitá-los como iguais.

      Agradecemos muito pelo comentário. E pode ter certeza muitos outros artigos ainda estão por vir, interessantes e surpreendentes. Fique ligado!

      Grande abraço,

      Equipe BioOrbis.

      Excluir