sábado, 14 de novembro de 2015

Estalactites, Estalagmites e Corais

Como se formam as estalactites e estalagmites?

Por que os corais só são encontrados em locais onde o mar é quente?

Estalactites e estalagmites são formadas graças ao deslocamento de um equilíbrio químico.


As respostas a ambas as perguntas têm a ver com um mesmo equilíbrio químico:

CaCO³(s) + CO²(aq) + H²O(l) = Ca²+(aq) + 2HCO-³(aq)

A formação das estalactites e estalagmites pode ser entendida utilizando sobre o efeito da pressão sobre a solubilidade de gases.

Quando a água subterrânea que contém CO² dissolvido passa por terrenos contendo calcário (CaCO³), a alta pressão (devida ao peso do que está sobre o lençol subterrâneo d’água) faz com que haja muito CO² dissolvido e, consequentemente, o equilíbrio seja deslocado para a direita. Isso dissolve o calcário.

Recifes de coral envolvem o mesmo equilíbrio 
químico que as estalactites e estalagmites.
Quando essa água goteja dentro de uma caverna, onde a pressão é menor, há saída de CO² e o equilíbrio se desloca para a esquerda. Ocorre formação de CaCo³ sólido, que constitui as estalactites (no teto da caverna) e as estalagmites (no chão da caverna).

A presença de corais apenas em regiões de mar quente pode, por sua ver, ser entendida com o efeito da temperatura sobre a solubilidade de gases. Os corais contêm grande quantidade de CaCo³, que torna parte de sua estrutura. Nos mares frios, a baixa temperatura faz com que muito CO² (do ar) esteja dissolvido. Essa alta [CO²] desloca o equilíbrio mencionado para a direita, dissolvendo o CaCo³ dos corais. Em locais quentes, ao contrário, o CO² é expulso da água e o equilíbrio é deslocado para a esquerda, favorecendo a formação do CaCO³.

CaCo³(s) + CO²(aq) + H²O(l) = Ca²+(aq) + 2HCO-³ (aq)


Alta pressão e /ou baixa temperatura deslocam para a direita>>


<<Baixa pressão e/ou alta temperatura deslocam para a esquerda


Fonte:  PERUZZO, Francisco Miragaia; CANTO, Eduardo Leite. Química na abordagem do cotidiano. Volume 2, Físico-Química. 3ª edição. 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário