segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Tartaruga Fluorescente?

Incrível descoberta feita por pesquisadores que encontram primeira tartaruga do mundo que “brilha”.

Tartaruga marinha. Fonte da imagem: Matéria incógnita.
VAMOS DESCOBRIR...

Durante uma expedição recente nas Ilhas Salomão, no Oceano Pacífico, um grupo de pesquisadores analisou uma característica até então desconhecida das tartarugas-de-pente. Ao que tudo indica, elas são capazes de “brilhar” no escuro. O caso foi revelado com exclusividade pela National Geographic.

Eretmochelys imbricata a incrível tartaruga fluorescente. Fonte da imagem: Imperial Bulldog.
De acordo com informações publicadas no site da revista, a habilidade foi observada em mais de um representante da espécie. Durante a expedição, foi constatado que os animais observados são capazes de absorver a luz que toca em sua superfície e de a emitir de volta com uma cor diferente. Caso seja confirmado em pesquisa científica, estes serão os primeiros répteis biofluorescentes do mundo. Entre as cores “devolvidas” pela superfície do animal estão o verde, o vermelho e o laranja.


“Eu estudo tartarugas há muito tempo, e acho que ninguém jamais viu isso. É surpreendente”, disse à National Geographic Alexander Gaos, diretor da Eastern Pacific Hawksbill Initiative, instituto que não participou da descoberta.

Veja um vídeo do canal da National Geographic dessa incrível tartaruga:


No caso das tartarugas observadas durante a expedição, elas não são capazes de produzir a própria luz. Se fossem, em vez de biofluorescentes, seriam considerada bioluminescentes. Apesar de ser uma descoberta que impressiona, há alguns anos pesquisadores já vem expondo animais comuns que também tem a mesma habilidade destas tartarugas, como alguns peixes, tubarões, arraias e pequenos crustáceos.

De acordo com informações da National, a descoberta das tartarugas foi feita por acaso, durante uma expedição do biólogo marinho David Gruber, da Universidade de Nova York, que pretendia filmar a mesma habilidade em pequenos tubarões e recifes. Durante um mergulho noturno, sua equipe estava de guarda para registrar crocodilos, quando surgiu uma tartaruga fluorescente.


Gruber seguiu a tartaruga por um tempo, mas depois de alguns momentos, deixou-a ir, para não perturbá-la demais. Aqueles poucos minutos foram os únicos que Gruber conseguiu capturar em sua viagem. Mas, quando ele conversou com habitantes locais, descobriu uma comunidade próxima que mantinha várias tartarugas-de-pente em cativeiro. Quando Gruber analisou estes animais, percebeu a capacidade de biofluorescência e descobriu que todos brilhavam na cor vermelha.

Os cientistas acreditam que é cedo para dizer por que essas tartarugas-de-pente têm a capacidade da biofluorescência, ou se populações em outros lugares do mundo também o fazem.

“A biofluorescência é geralmente usada para encontrar e atrair presas, como uma defesa ou algum tipo de comunicação”, comentou Gaos. “Neste caso, poderia ser uma espécie de camuflagem”.

Fonte: Top Biologia

QUE INCRÍVEL DESCOBERTA! MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI NÃO É MESMO, ABAIXO SEPARAMOS MAIS PRA VOCÊS (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):

Os Cupinzeiros Bioluminescentes

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/10/os-cupinzeiros-bioluminescentes.html


2 comentários:

  1. Coisa mais linda!!! Não basta brilhar, tem que ter um desenho magnífico no casco! Amei!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindos animais! Agradecemos pelo comentário.

      Excluir