quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Espécies ameaçadas de extinção, em extinção e extintas: Entenda a diferença!

Classificar as espécies ameaçadas de extinção, em extinção e extintas é uma tarefa difícil e não conta com critérios oficiais.

Sapo-dourado. Espécie extinta. IUCN: http://www.iucnredlist.org/details/3172/0


Os números de espécies em risco no Brasil e no mundo não param de crescer. Apesar disso, não há um critério oficial e nem um consenso que possa definir se uma espécie está ameaçada de extinção, em extinção ou extinta.

Para poder basear, pelo menos um pouco, a classificação, a União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), organização internacional de preservação do meio-ambiente, realizou um estudo com algumas análises a fim de estabelecer alguns critérios.

Rinoceronte negro extinto.
Foto:
joachim_s_mueller
É com base nesses critérios que o órgão publica, desde 1994, a chamada Lista Vermelha, um documento que detalha a situação de 45 mil espécies de animais, plantas e fungos.

De acordo com as análises da IUCN, quando uma espécie é classificada como extinta na natureza significa que ela não existe mais e não poderá ser vista novamente. Já se ela em extinção é porque quase não há animais da mesma espécie, o que dificultará a sua reprodução e continuação do legado.

Apesar de ter um nome e um sentido parecido, as espécies classificadas como ameaçadas de extinção são aquelas que estão perdendo população e desaparecendo rapidamente, correndo o risco de extinção.

Arara-azul. Espécie Ameaçada de extinção
Ainda segundo a IUCN, as espécies podem ser classificadas em oito categorias:

• Extinta;

• Extinta na natureza;

• Criticamente em perigo;

• Em perigo;

• Vulnerável;

• Ameaçada;

• Pouco preocupante;

• Deficiente em dados.

Para se chegar a uma dessas categorias, são levados em conta os critérios de quanto a população diminuiu durante o espaço de três gerações ou qual é a projeção de declínio populacional para as próximas três gerações. Há também indicadores de extensão de ocorrência, tamanho da área que ocupa e o tamanho da população de indivíduos maduros (prontos para a reprodução).

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) também publica uma lista dos animais em extinção, realizada com base em reuniões com pesquisadores especializados na fauna e flora. De acordo com as reuniões, as espécies ganham ou perdem o status de ameaçadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário