segunda-feira, 2 de junho de 2014

As abelhas azuis australianas

Conhecidas internacionalmente como “Blue Banded Bee”, as abelhas-azuis (Amegilla cingulata) são animais endêmicos da Austrália que chamam a atenção por conta da cor azul no abdômen.

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/06/as-abelhas-azuis-australianas.html

VAMOS DESCOBRIR...

Pertencente ao gênero Amegilla, também podem ser encontradas em toda a região entre a Ásia e o Pacífico. Atualmente, várias organizações científicas estão conduzindo pesquisas sobre como essas abelhas beneficiam a agricultura através do seu distintivo "polinização do zumbido". Estas abelhas são muito importantes para a produção de alimentos e contribuem para, pelo menos, 30% das culturas na Austrália.

TAXONOMIA

A. cingulata foi descrito pela primeira vez pelo dinamarquês entomologista Johan Christian Fabricius em 1775. Seu epíteto específico cingulata é do cíngulo palavra latina ("cinturão") se referindo a bandas da abelha. O gênero Amegilla contém mais de 250 espécies adicionais, mas vários são virtualmente indistinguíveis de A. cingulata, por isso são comumente confundida com ele.

DESCRIÇÃO

A. cingulata tem uma aparência muito marcante, semelhante a várias outras espécies de Amegilla. Ao contrário de abelhas produtoras de mel, elas tem listras azuis opalescentes pálidos em seu abdômen. O macho podem ser distinguidos pelo número de bandas completas, tendo cinco em oposição à das fêmeas de quatro. Em tamanho, A. cingulata pode crescer até 10-12 mm (0,39-0,47 in).

DISTRIBUIÇÃO E HABITAT

A. cingulata são nativas da Austrália, mas também é relatado a partir de Papua Nova Guiné, Indonésia, Timor Leste, Malásia e Índia, mas os últimos registros podem se referir a espécimes ‘misidentified’ de espécies semelhantes, tais como A. zonata. Seu habitat são em regiões tropicais e subtropicais. As abelhas habitam áreas urbanas, florestas, bosques e áreas de saúde.

COMPORTAMENTO

Essas abelhas podem picar, mas não são tão agressivas como outras abelhas. Elas parecem ser mais rápida do que outras em movimento. Os machos se agarram a hastes da planta durante a noite. São criaturas solitárias, habitam tocas no solo, ao contrário de espécies sociais, como abelhas de outros gêneros, que vivem em grandes colônias.

DIETA

A. cingulata na Austrália recolhe a maioria do seu néctar de flores azuis, embora outros investigados incluem Lambertia formosa e flor cinza aranha (Grevillea buxifolia), bem como a introduzida Abelia grandiflora e lavanda (Lavandula). Elas também se alimentam de algumas flores como a Salvia coccinea, tomate (Solanum lycopersicum) e berinjela (Solanum melongena), flores brancas de Leea indica, e alguns membros da família Verbenaceae. As abelhas utilizam um processo que envolve as flores e começam a vibrar intensivamente, o que aumenta a libertação do pólen. Elas só têm uma gama de forrageamento limitada a cerca de 300 m do seu ninho, e as fêmeas fazem pelo menos nove voos por dia.


CICLO DE VIDA

A. cingulata constrói um ninho solitário, mas muitas vezes perto de outros membros da mesma espécie. Essas abelhas tendem a ninhos em tocas em bancos de areia perto de rios, casas de barro antigas, e argamassa entre tijolos, mas também podem enterrar em arenito macio, e áreas deste tipo de rocha pode tornar-se cheio de túneis de abelhas. As células, no final de túneis, contém um ovo com uma mistura de pólen e néctar para a alimentação das larvas.

AMEAÇAS

A. cingulata é predada por muitos animais, incluindo o sapo-cururu, rãs e pássaros. Seus ninhos são parasitados pela abelha neon cuco (Thyreus nitidulus). A atividade humana, por exemplo, a compensação das margens dos rios no Rio Caboolture, pode ameaçar locais de nidificação desta espécie de abelha.

Fonte: TopBiologia
Wikipedia

QUE ABELHAS MAIS DIFERENTES E INCRÍVEIS. MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI, SEPARAMOS MAIS ALGUMAS PRA VOCÊS AQUI EM BAIXO (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):

Será que a ciência pode salvar as abelhas?

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/07/sera-que-ciencia-pode-salvar-as-abelhas.html


3 comentários:

  1. Elas são mais resistentes que outras espécies com relação a agressão ambiental ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente acho que não, nenhum animal ou ser vivo está livre das ações do homem. A única ameça humana a essa espécie que encontramos está no final da postagem: "A atividade humana, por exemplo, a compensação das margens dos rios no Rio Caboolture, pode ameaçar locais de nidificação desta espécie de abelha."

      Abraços, Equipe BioOrbis.

      Excluir
  2. Elas são mais resistentes que outras espécies com relação a agressão ambiental ???

    ResponderExcluir