quarta-feira, 7 de maio de 2014

Chimpanzés: o surgimento da cultura com o uso do polegar

Se você precisa se mover entre as copas das árvores, duas habilidades são extremamente importantes: a aptidão para julgar distâncias e a capacidade de se agarrar em galhos.

 https://bio-orbis.blogspot.com/2014/05/chimpanze-o-surgimento-da-cultura-com-o.html
A vida em sociedade também é importante na formação da cultura dos Chimpanzés. Uma das atividades diárias desses primatas é a retirada de parasitas dos companheiros. Cada grupo tem uma maneira de sinalizar que precisa de uma limpeza. Nas montanhas Mahale, Tanzânia, eles apertam as mãos. Em Gombe descansam um dos braços em um galho. Em outras partes da África viram de costas – Foto: Tom Brakefield/Stockbyte

VAMOS DESCOBRIR...

Mãos dotadas de um polegar opositor um par de olhos voltados para frente resolvem o problema. Essas características, presentes em aproximadamente 200 espécies de primatas (incluindo chimpanzés e nós), foram essenciais para o desenvolvimento de um cérebro maior e, posteriormente, da cultura.

A manipulação de objetos com os dedos das mãos pode parecer uma atividade simples, mas é uma tarefa extremamente complexa e requer um mecanismo de controle elaborado. A produção de imagens a partir de dois olhos para gerar a visão binocular (capaz de perceber profundidade) requer um circuito capaz de integrar o que você está vendo com o que pretende fazer.  Assim, para analisar e investigar pequenos objetos é preciso uma coordenação perfeita entre os olhos e as mãos.

O surgimento do polegar 
abriu um novo mundo para os primatasAgora eles eram capazes 
de usar e fabricar instrumentos. Foto: Anup Shah/Digital Vision

Durante a evolução dos primatas se observou o crescimento do córtex cerebral, área responsável pela coordenação de movimentos complexos, pelo processamento da informação visual e, entre outras funções, pelo aprendizado.

Técnicas elaboradas, como as citadas acima, são descobertas por um único chimpanzé e depois são copiadas pelo restante dos membros do grupo que, posteriormente, ensinam seus filhotes. É por isso que chimpanzés precisam passar os primeiro cinco anos de vida aprendendo tudo com a mãe: quais frutos são comestíveis, onde achá-los, como prepará-los de forma correta, como caçar, onde dormir e tudo o que é necessário para a sobrevivência na selva.

Porém, cada grupo de chimpanzés vive em uma parte da floresta e enfrenta problemas diferentes, que exigem soluções diferentes. Assim, cada bando terá um arsenal de técnicas distintas, criadas a partir dos recursos disponíveis em seu habitat. É como se cada clã tivesse uma espécie de cultura passada de geração em geração.

Um cérebro maior possibilitou o início de uma nova relação com o ambiente. Os macacos passaram a usar e fabricar ferramentas. Tornaram-se capazes de aprender e de passar o habilidades adquiridas para as novas gerações, possibilitando o surgimento de culturas primitivas.

O filhote de chimpanzé passa os primeiros cinco anos de sua vida com a mãe, aprendendo todas as técnicas necessárias para a sobrevivência na selva – Foto: Anup Shah/Digital Vision

Os primatas que utilizam essas habilidades hoje estão repetindo o processo que outro braço de sua família começou, há 20 milhões de anos atrás, na África. Foi esse grupo que deixou a vida nas árvores, começou a andar em pé e desenvolveu talentos capazes de explorar o mundo de uma forma que nenhuma espécie havia feito antes. Foram eles que deram origem a nós.

Fonte:National Geographic Brasil

ESSES PRIMATAS SÃO INCRÍVEIS! MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI, ABAIXO TEM MUITO MAIS (CLIQUEM NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS PARA ACESSAR OS LINKS):

Chimpanzés estratégicos

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/10/chimpanzes-estrategicos.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário