segunda-feira, 3 de março de 2014

Carnívoros a beira da extinção

75% dos carnívoros do planeta podem entrar em extinção. Segundo artigo publicado na revista Science, a perda de habitat e a caça ilegal são as principais ameaças.


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/03/carnivoros-beira-da-extincao.html
A onça-pintada (Panthera onca) é um carnívoro considerado vulnerável pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Fonte da imagem: National Geographic Brasil.

VAMOS DESCOBRIR...

A revista Science - uma das publicações mais respeitadas da comunidade científica mundial - divulgou recentemente estudo preocupante sobre os carnívoros de grande porte: 75% das 31 espécies existentes podem entrar em extinção.

Panthera tigris. Fonte da imagem: mmbiztoday.

A maioria dos carnívoros vivos se concentra nas regiões da Amazônia, da Ásia e da África. No restante do mundo, estão praticamente exterminados, e as principais causas são:

-Perda de habitat, que é causada por conta do crescimento desenfreado das cidades;

-Caça ilegal, muitas vezes motivada por interesses financeiros;

-Extração das presas, que pode ser resultado dos fatores anteriores.

Panthera leo. Fonte da imagem: wikipedia.

E essa situação causa impactos negativos em todo o equilíbrio dos ecossistemas globais. Esses animais - como em qualquer ecossistema - ajudam na manutenção e regeneração de florestas e matas ciliares (aquelas que se encontram à beira dos rios e ajudam a evitar erosão), outros ajudam no sequestro de carbono (ou seja, remoção do gás carbônico e liberação do oxigênio na atmosfera) e controle de doenças.

O principal autor do texto publicado pela Science, William Ripple, explica que os ecossistemas voltam rapidamente ao normal uma vez que as populações de carnívoros, como o lobo de Yellowstone e os linces da Finlândia, são restabelecidas.

Puma concolor. Fonte da imagem: photorator.

Na realidade, todo ser vivo é importante na natureza. Qualquer animal faz falta ao equilíbrio dos ecossistemas, mas os carnívoros em especial já que, por seu porte e importância, é bem mais difícil substituí-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário